Pesquisar este blog

terça-feira, 3 de outubro de 2017

Balanço - Setembro/2017

Mês cansativo, marcado pela frustração com o trabalho e recordes da Bovespa. Pra mim é claro que não posso continuar a fazer um trabalho onde eu não tenha autonomia para decidir como faze-lo da melhor forma. A cultura corporativa me cansa. Penso em iniciar minha retirada dessa vida já no final do próximo ano, através de uma licença não-remunerada. Vamos ver.

Neste mês separei as carteiras de ações e FIIs. A planilha do AdP ficou muito louca pra apresentar o acumulado do ano, talvez eu tenha comido bola. Eu só peguei o valor dos FIIs ao final de agosto e joguei em setembro como retirada da carteira antiga e aporte na carteira nova, somente com FIIs. Sei lá, dane-se.

2 CDBs que venceram este mês (um deles pré a 17,50% - bons tempos :) foram reinvestidos em FIIs, ações, ouro, fundo de ações e TD Pré 2023. Ainda sobrou um restinho pra reinvestir em renda variável - ordens estão prontinhas na corretora.

Desempenho do mês:
  • Taxa de poupança ( (receitas - despesas) / receitas) de acordo com o GuiaBolso: 85%
    • No fim do mes recebi férias, 1/3 e o cacete, entao essa taxa e a do proximo mês (quando nao receberei praticamente nada) ficam distorcidas.
  • Renda passiva de FIIs e ações: 1379,86
  • Rendimento global da carteira: 1,19% - Legal ! Acumulado de 2017: 9,33%
    • Previdencia Privada: 0,8% - ok
    • Tesouro direto: 0,94% - bom
    • RF (Titulos privados): 0,77% - ok
    • Fundos: 1,04% - bom
    • FGTS: 0,29% - sem comentários 
    • Ações: 5,93% - sabia que tava subindo pra caramba... POMO3 com 17% foi a maior alta, ELPL4 com -19% a maior baixa
    • FIIs: -0,45% - no começo era meu orgulho, agora virou uma bela porcaria
    • USD: 2,68% - oba
    • EUR: -0,01 - choveu no molhado
    • Stock plan: 13,27% - enfim compraram na baixa e subiu
Todas rentabilidades acima sao líquidas. Já está descontado IR e taxas para se desfazer dos ativos. Para ativos no exterior considerei um ágio de 5% no câmbio se quisesse trazer tudo pra cá, mais multas e impostos. 

Indicadores do mês:
CDI 0,64% - bati outra vez ! No ano acumula 8,14% 
IPCA estimado: 0,12% - ganhei fácil; no ano acumula 1,74%
Poupança: 0,5% - melhor que meus FIIs; no ano acumula 4,69%

Alocação atual:

Brasil
Exterior
Fundos Prev Privada FGTS RF TD FII Ações Stock Plan EUR USD

24,1% 10,7% 5,7% 15,0% 22,7% 8,8% 4,4% 1,9% 4,1% 2,7%

Nos próximos dias estarei tirando merecidas férias. Quero muito espairecer e retornar com novo fôlego pois tenho estado com a cabeça muito ruim, cansado e confuso também com a perspectiva de atingir a IF e o que virá depois. Pareço um cara que se descobriu homossexual e não sabe como contar pra família, não sabe como sair do armário. É assim que me sinto.

Quero virar vagabundo ! Mas não conto pra ninguém...

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

TSR para o Brasil: meu primeiro estudo com método Monte Carlo

Desde que descobri a comunidade de independência financeira sempre desconfiei da clássica taxa de 4% por ter vindo de estudos baseados no mercado americano. O nosso mercado é muito diferente, os números são óbvios. Até mesmo para o mercado americano essa regra é constantemente questionada.

Um dia lendo o blog "My Money Design" me deparei com um artigo sobre uma tal simulação de Monte Carlo, onde ele questionava a tal regra de 4%. Em síntese, o estudo do William Bengen e o Trinity Study foram feitos em cima de resultados do passado. Obviamente aquela sequência de rendimentos e quedas no mercado com certeza não vai se repetir outra vez, igualzinho aconteceu. Também ninguém pode cravar qual será o retorno da bolsa ano a ano. No método Monte Carlo você simula aleatoriamente os rendimentos ano a ano, dentro do que foram os rendimentos do passado.

Infelizmente não sei porque motivo o cara deletou o post. Descobri isso ao procurar outra vez para por o link como referência no final deste post. Porém na hora que vi eu baixei a planilha dele, onde você podia fazer simulações em cima dos retornos da bolsa americana desde 1950. Na hora eu pensei "outro dia eu pesquiso os retornos da bolsa brasileira e ponho aqui pra ver o que dá".

Tempos depois eu fiz essa pesquisa e hoje quero mostrar os resultados da brincadeira.

Como funciona

Na aba "Rendimentos" estão os rendimentos de cada índice. Ali pode ser informado a partir de que data será calculada a média e desvio padrão que irão alimentar as simulações.

Na aba "Simulações" aparece o resultado final de cada uma das 1000 simulações, junto com alguns dados estatísticos. Percebi que por conta daquele período da hiperinflação no final dos anos 80 e começo dos anos 90 a simulação ficava muito prejudicada. Eu adaptei a planilha para considerar uma data inicial variável. Para o Brasil a data inicial mais antiga decente parece ser 1996.

Na aba "Monte Carlo" preencha as células verdes e pressione F9. Será mostrada uma tabela com a evolução da carteira de acordo com a taxa de retirada e inflação informados, assim como os retornos gerados aleatoriamente dentro do histórico do índice escolhido. Do lado aparece um gráfico com a evolução da carteira. Tanto o gráfico quanto a evolução da carteira valem somente para a primeira simulação.

A planilha original simulava 70 anos de retorno aleatório, uma única vez. A minha simula quantos anos você quiser até máximo 70, e faz isso 1000 vezes. São mil simulações com taxas de rendimentos aleatórias, que estão dentro do que ocorreu desde a data inicial especificada. Para repetir a rodada e gerar mais 1000 simulações basta pressionar F9.

Resultados


Resumo: carteira 1M - TSR x taxa de falha
Inflação SP500 - 0%; IBOV 4%
Período SP500 -1/1/1950 em diante; IBOV 1/1/1996 em diante
Indice Anos
Taxa de retirada 30 40 50
S&P 500 0 0 0
0,5% IBOV 21 27 34
IBOV USD 54 64 73
S&P 500 0 0 0
1% IBOV 26 33 40
IBOV USD 60 71 78
S&P 500 0,1 0,2 0,3
2% IBOV 35 42 50
IBOV USD 66 76 82
S&P 500 0,5 1,5 2
3% IBOV 40 49 55
IBOV USD 72 79 84
S&P 500 3,5 6,5 8
4% IBOV 49 54 60
IBOV USD 75 82 87

Dada uma carteira de 1 milhão, simulei diversas vezes cada cenário e anotei a taxa de falha que mais apareceu. Taxa de falha seria a porcentagem de simulações onde a carteira zerou antes de terminar o período.

No cenário pelo SP500 e TSR de 4% durante 30 anos (estilo Trinity Study) a taxa de falha ficou em 3,5%. Nos cenários usando o Ibovespa as taxas de falha foram sempre superiores a 20%. Mesmo adotando um período mais estável (desprezando a época da hiperinflação) e convertendo os retornos para dólar a volatilidade foi imensa, o que provocou uma montanha russa nas simulações. Você pode ver que as vezes a carteira sobe 100% e no ano seguinte cai 60%, ou sobe de novo 80% e daí cai mais de 50% por alguns anos. Veja aba "Monte Carlo".

A média do Ibovespa nominal ficou em 19,78% com um desvio padrão de 45,88% (!); em dólar esses valores ficaram em 18,07% e 55,81% respectivamente (em dólar a variação foi ainda maior). Veja aba "Rendimentos".

Conclusão

De acordo com esse exercício de pura curiosidade ter uma carteira com 100% em ações vai resultar em fortes emoções numa aposentadoria precoce ou não. Nossa economia ainda é frágil e a bolsa vai oscilar bastante a cada crise ou suspeita de crise internacional ou nacional. Muitas ocorrerão ao longo das décadas.
Quero pesquisar os retornos de renda fixa para simular nessa planilha também.
Abaixo vou deixar vários links que me ajudaram a fazer essa brincadeira, assim como o link para baixar a planilha que eu fiz. Divirta-se !

Links
Monte Carlo Simulation: The Basics
Monte Carlo Simulation with Excel
45 Anos de Bovespa e 4 Bear-Markets: 3 com Quedas de 80%-90% em Dólar
Minha planilha

domingo, 3 de setembro de 2017

Balanço - Agosto/2017

E lá se vai mais um mês nessa longa, lenta, porém inabalável caminhada rumo à independência financeira. Depois de um período razoavelmente tranquilo esse mês entrei em mais um projeto-roubada. Está claro que não vai dar pra ficar mais 20 anos nessa vida. Enquanto antes minha reação era disparar currículos pro mercado em busca de algo melhor, agora estou mais tranquilo e consciente. A IF é minha única saída.

Eventos que me chamaram a atenção na comunidade FIRE:

- Bill Bengen, inventor da regra dos 4%, deu uma entrevista no Reddit dizendo que agora é 4,5%;
- Descobri o blog Early Retirement Now, que tem uma série sensacional sobre taxa segura de retirada. Segundo o estudo do cara, esta seria 3,25% para quem vai ficar 60 anos vivendo de renda;
- Michael Kitces, outro guru na área, defendeu em entrevista ao Mad FIentist a regra dos 4% inclusive para aposentadoria além de 30 anos. 

Particularmente vejo mais factível o estudo do blog Early Retirement Now. Estou lendo aos poucos.

Desempenho do mês:
  • Taxa de poupança ( (receitas - despesas) / receitas) de acordo com o GuiaBolso: 67%
  • Renda passiva de FIIs e ações: 1637,96
  • Rendimento global da carteira: 0,75% - decente. Acumulado de 2017 - 8,38%
    • Previdencia Privada: 0,8% - decente
    • Tesouro direto: 0,87% - decente
    • RF (Titulos privados): 0,82% - decente
    • Fundos: 0,82% - medíocre
    • FGTS: 0,30% - sem comentários 
    • Bolsa: 0,48% - FIIs estagnados ou em leve queda
    • USD: 1,12 % - leve alta
    • EUR: 0,50% - leve alta
    • Stock plan: 0,72% - outro mês comprando no topo seguido de queda da ação
Agora todas rentabilidades acima sao líquidas. Já está descontado IR e taxas para se desfazer dos ativos. Para ativos no exterior considerei um ágio de 5% no câmbio se quisesse trazer tudo pra cá, mais multas e impostos. 

Indicadores do mes:
CDI 0,8% - como minha rentabilidade é liquida, superei ! No ano acumula 7,34% (também estou superando)
IPCA estimado: 0,44% - ganhei fácil; no ano acumula 1,87%
Poupança: 0,55% - mesmo melhor que meu desempenho na bolsa, no geral minha carteira supera; no ano acumula 4,69%

Alocação atual:


Brasil Exterior
Fundos Prev Privada FGTS RF TD BOVESPA Stock Plan EUR USD

23,5% 10,9% 5,8% 16,4% 23,0% 11,9% 3,1% 2,8% 2,7%

Nos próximos capítulos terei que decidir o que fazer com 2 CDBs que estão vencendo esse mês. Queria reinvestir tudo em ações e FIIs mas estou receoso com essa euforia, achando FIIs principalmente muito caros e com baixo rendimento. Tesouro Direto está devagar também. De repente vou jogar em fundo de ações ou algum ETF. Vamos ver.

Quero mexer na minha planilha para separar ações e FIIs. Tenho certeza que tive uma alta expressiva em ações este mês mas como está tudo junto não sei quanto foi.

Por fim quero estudar e tentar bolar uma estratégia de retiradas melhor que a que apresentei no blog mês passado.

Obrigado pela visita e vamos virar vagabundo !!! :-)

terça-feira, 22 de agosto de 2017

Minha estratégia para viver de renda passiva - versão 1.0

Penso bastante (até mais do que devia) em como virar vagabundo, parar de trabalhar por dinheiro e viabilizar uma vida pós-IF. Basicamente consegui pensar em 2 modelos até agora:

1. Múltiplas fontes de renda passiva, depositando dinheiro na minha conta mensalmente
2. Diversos "baldes" de dinheiro, alocados por prazo e/ou percentual, de onde eu iria retirando à medida que precisasse

Por enquanto só consegui detalhar algo baseado no modelo 1. Apesar de ainda ter algumas lacunas e incertezas, como parte da premissa do blog de mostrar minha jornada rumo à IF e trocar idéias com outros aspirantes a virar vagabundo acho interessante registrar aqui essa primeira versão.

Este plano é baseado nos seguintes pilares:

- Cupons semestrais do tesouro direto
- Mudança para alguma cidade com custo de vida menor, usando o aluguel do meu apartamento para pagar aluguel lá e ainda sobraria algum dinheiro

Plano de renda passiva

Estes são os números que andei mastigando:

Yield  R E N D A %
origem valor anual anual mensal Carteira Renda
TD IPCA 2035 330000 4% 13200 1100,00 15,1% 13,7%
TD IPCA 2050 330000 4% 13200 1100,00 15,1% 13,7%
TD PRE 2027 330000 4% 13200 1100,00 15,1% 13,7%
FII 300000 7,4% 22327,25 1860,60 13,7% 23,2%
Ações 150000 3% 4500 375,00 6,8% 4,7%
Aluguel 750000 4% 30000 2500,00 34,2% 31,1%
TOTAL 2190000 96427,25 8035,60
Renda fixa 45,2% 41,1%
Renda variável 20,5% 27,8%
Outros 34,2% 31,1%
Taxa de retirada 4,4%

Este fluxo me garantiria uma renda média de 8000 reais por mês. Todas taxas de retirada prevem o não-consumo do principal do investimento e correção pela inflação.

  • Tesouro direto 
Taxas no dia em que comecei a escrever este post (16/08/2017):

Ativo Vencimento Taxa de Juros Pagamento
Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais 2035 (NTNB) 15/05/2035 5,14% maio e novembro
Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais 2050 (NTNB) 15/08/2050 5,17% Fevereiro e agosto
Tesouro Prefixado com Juros Semestrais 2027 (NTNF) 01/01/2027 10,04% Janeiro e Julho

Esta parte está bem explicada nesse vídeo, a partir do minuto 15:


Muito importante notar que uma parte dos juros seria usada para se reinvestir em mais títulos, para proteger o principal da inflação. Por exemplo o Tesouro Prefixado 2027 pagaria 10% ao ano de juros, mas eu só retiraria 4%, reinvestindo o restante. Nos meses de recebimento o excesso de dinheiro seria colocado em algum investimento com liquidez para uso no mês posterior.

  • FIIs
Considerei um DY mensal de 0,60%, onde os aluguéis seriam reajustados pela inflação. Meu DY atual está em 0,62% mais ou menos.

  • Ações
Seriam retirados somente os dividendos. Até acho que consigo mais que 3% mas nesse primeiro momento vou ser mais conservador.

  • Aluguel
Pesquisei preços de imóveis parecidos na minha região e fiz um desconto de 15% por causa do IR. Aluguel seria reajustado pela inflação.

Se tudo correr bem, consumindo 4,4% anuais dessa carteira teórica eu teria uma renda suficiente para suprir minhas necessidades, enquanto a outra carteira (já já chegaremos lá) continuaria crescendo livre.

Mas e se algo der errado ?

Plano B

Em meses de maiores despesas ou períodos de escassez dessas fontes de renda, entraria em ação esta carteira backup:

Yield  R E N D A %
origem valor anual anual mensal Carteira Renda
TD SELIC 100000 4% 4000 333,33 10,0% 8,9%
Fundos+Prev 500000 5% 25000 2083,33 50,0% 55,6%
RF 250000 4% 10000 833,33 25,0% 22,2%
Exterior 100000 4% 4000 333,33 10,0% 8,9%
Ouro 50000 4% 2000 166,67 5,0% 4,4%
TOTAL 1000000 45000,00 3750,00
Renda fixa 35,0% 31,1%
Renda variável 15,0% 13,3%
Outros 50,0% 55,6%
Taxa de retirada 4,5%



Este fluxo me geraria em média 3750,00 mensais, equivalente  a 47% da renda principal. Mais uma vez a idéia seria retirar somente juros acima da inflação, deixando o principal intacto.

  • Tesouro SELIC: famosa reserva de emergência, seria o primeiro a ser tocado em caso de necessidade
  • Fundos+Previdencia Privada: diversos fundos multi-mercado de médio e longo prazo
  • Renda Fixa: títulos privados com duração de 3 anos distribuídos ao longo tempo. Em anos ruins eu não reinvestiria uma parte deles.
  • Exterior e ouro: apliquei a famosa taxa de 4%
Esta carteira me cobriria bem em alguns casos bem prováveis:
  • Dificuldade de achar inquilino: esta carteira cobriria essa renda e ainda sobraria algo pro bolo continuar crescendo. Aluguel seria 31% da minha renda, enquanto esta carteira equivale a 47%.
  • FIIs e ações com problemas reduzindo os dividendos pela metade: mesmo assim a carteira backup daria conta do recado e ainda sobraria. Poderia até cobrir a renda de aluguel ao mesmo tempo se precisasse, porém aí não sobraria nada.
Ou seja, mesmo que num certo período minhas despesas aumentem 47% ou cerca de metade da minha carteira principal falhe eu ainda poderia me virar com essa carteira backup. Sem comentar que eu poderia cortar gastos e nem precisar recorrer a essa carteira. Aquela viagem pra Europa poderia ser trocada por uma viagem mais barata, trocar de carro poderia esperar mais um ano e coisas assim.

Eu também pretendo gerar alguma renda através de algum trabalho que me agrade, retardando ao máximo a necessidade de recorrer a esta carteira para pagar minhas contas.

Em condições normais (retirada somente da carteira principal) a taxa de retirada geral das duas carteiras seria 3% ao ano. Não gosto de comparar com os tal 4% porque essa é a TSR baseada no mercado americano. Portanto não sei se é alta ou baixa, diria que é adequada para a renda almejada. 

Plano C

Mas e se a coisa ficar feia mesmo ? 
  • Aluguel baixando ou faltando, ações e FIIs sem pagar dividendos por vários anos: não restaria outra alternativa senão vender ativos, fazer retiradas acima da inflação e comprometer o principal dos investimentos.
  • Governo dando calote nos títulos do Tesouro: neste cenário Mad Max, eu estaria morando no interior, com espaço para plantar e criar alguns animais para me alimentar. Ainda teria uma reserva em ouro e moeda estrangeira para complementar. 
Não faço questão de deixar dinheiro para herdeiros. Prefiro investir em boa educação para gerar oportunidades com as quais eles enriquecerão sozinhos e quem sabe até me ajudarão se eu precisar. Nesse processo gerarão riqueza por si mesmos, melhorando um pouco o mundo a seu redor. Por isso não me preocupa consumir o principal do investimento por algum tempo se for preciso.

É claro que existe risco. Mas nessa vida nada é garantido. Você pode trabalhar até os 70 anos, juntar 10 milhões de dólares e no dia seguinte sofrer um acidente ou ataque cardíaco, sem aproveitar nenhum fruto do seu trabalho.

Para diminuir o risco de acabar o dinheiro (eliminar é impossível, mesmo trabalhando até 70 anos) quero ter ainda uma margem de segurança. Por este plano eu precisaria ter aplicado 2,44 milhões. Isso equivale à conta de número mágico mais simples que vemos por aí, aquela baseada na taxa de 4%: 8000 x 12 x 25 = 2,4 milhões. Conforme meu post sobre cálculo do número mágico, vou arredondar isso para 3 grandes sabugos.

Pontos em aberto

Certas coisas eu ainda não sei exatamente como tratar:
  • Apartamento: se valeria mais a pena vender e alugar ou comprar em outro lugar, é um capítulo à parte; por questão de simplicidade deixei essa questão de lado nessa primeira versão da estratégia
  • Reinvestimento dos títulos: só Deus sabe que taxas eu pegaria no reinvestimento semestral e principalmente no vencimento de cada título
  • Impostos: os primeiros cupons do tesouro seriam mais taxados; ainda que após 2 anos caísse na faixa de 15%, é dinheiro que não ficará lá rendendo juros compostos, mostrando ineficiência do ponto de vista financeiro/matemático e enchendo os bolsos dos nossos infames governantes
  • Alocação ideal dos ativos: basicamente eu parti do aluguel e vendo que daria cerca de 1/3 da renda almejada, joguei outro terço pra TD e outro para dividendos de ações e FIIs
  • Margem de segurança: onde alocar, pois aqui só considerei o básico (2,4 sabugões)
  • Renda mensal pra que ? Como assalariado sempre fui organizado e nunca vivi de contra-cheque em contra-cheque, então não sei até que ponto vale a pena pagar o preço da ineficiência comentada acima só pela conveniência de ter dinheiro garantido pingando na conta corrente com frequência.
Por conta desse último ponto eu ainda quero pesquisar, mastigar mais números e tentar viabilizar uma estratégia conforme o modelo 2 mencionado no início do post.

É um trabalho em progresso. Críticas e sugestões são bem vindas. Feliz IFAP !

sábado, 12 de agosto de 2017

Despesas - Março a Julho/2017

Gastar menos do que ganha e reduzir despesas eu considero como o pilar fundamental dos aspirantes a IFAP - independência financeira e aposentadoria precoce. Há 5 meses venho acompanhando meus gastos através do app GuiaBolso. 


Este app tem a vantagem de buscar automaticamente o extrato bancário. Jamais funcionaria pra mim se eu tivesse que guardar recibinhos ou revisar o extrato para classificar os gastos na mao em alguma planilha. O GuiaBolso já classifica corretamente a maioria dos itens, restando alguns que eu vou acertando enquanto estou no ônibus ou esperando alguma coisa.

Nesse tempo já foi possível entender meu padrão de despesas, que na maior parte bateu com as estimativas que eu tinha. Somente supermercado eu tenho gasto mais do que imaginava. Vejamos a média das minhas despesas mensais - casal e uma criança:


Viagem 516,6
Moradia 981,4
Educação 775,38
Restaurante 614,08
Transporte 701,17
Lazer 415,36
Empregada 480
NET Netflix 239,948
Luz 151,718
Mercado 1387,512


Resto 1027,038


TOTAL 7290,206

Eita, como tá caro morar em Sao Paulo, viu.
  • Viagem: gasto com hotéis, gasolina e restaurantes durante viagens de lazer. Fiz duas esse ano e ainda tenho mais uma. Portanto esse número deve permanecer nessa faixa.
  • Moradia: condomínio e suas taxas malucas, mais água e gás.
  • Educação: creche meio período e livrinhos infantis.
  • Restaurante: comer perto do trabalho varia de 20 a 60 reais. Eu procuro ir nos mais em conta, mas não recuso se o pessoal quer gastar mais. Prezo o convívio. Nesse custo entra também a pizza e restaurantes de fim de semana.
  • Transporte: gastos com carro e transporte coletivo. Como não tem mais parcelas de seguro nem revisão do carro pra fazer esse ano, esse número deve baixar.
  • Lazer: aqui está pesando esse monte de shows internacionais acontecendo no Brasil. Não estou aguentando, e nem vou em todos. Outro custo significativo foi um violão que comprei em abril.
  • Empregada: uma vez por semana
  • NET Netflix: o combo maroto da NET mais o Netflix.
  • Luz: energia elétrica
  • Mercado: supermercado mais ração para dois gatos. Pesa a compra de muitas frutas, legumes e o leite da minha filha. Custa R$ 48 por lata e é difícil de achar. Quando vejo no mercado pego umas 10 latas de uma vez. Fiz isso em maio.
  • Resto: porcariadas diversas - roupinhas, presentes, cabelereiro da mulher, remédios, etc
Com o advento da IF espero baixar alguns custos:
  • Moradia: sem necessidade de morar em SP, poderei ir para uma cidade média do interior
  • Restaurante: sem precisar ir para uma empresa, poderei cozinhar e comer em casa
  • Lazer: já nem vou a tantos shows como ia antigamente e a tendência é continuar diminuindo. Fora poder ir no cinema nos horários mais em conta.
  • Empregada: tendo tempo de sobra, poderei eu mesmo cuidar da casa
Até a próxima !

terça-feira, 1 de agosto de 2017

Balanço - Julho/2017

Saindo agora quentinho do forno mais um capítulo da busca do último milhão:
  • Taxa de poupança ( (receitas - despesas) / receitas) de acordo com o GuiaBolso: 45%
  • Renda passiva de FIIs e ações: 1620,86
  • Rendimento global da carteira: 0,63% - devagar e sempre. Acumulado de 2017 - 7,59%
    • Previdencia Privada: 1,26% - Animal
    • Tesouro direto: 1,84% - Show
    • RF (Titulos privados): 0,60% - Medíocre; cortes na SELIC fazendo efeito
    • Fundos: 1,35% - Show
    • FGTS: 0,30% - sem comentários 
    • Bolsa: 0,06% - BRCR11 quebrou minhas pernas
    • USD: -4,78 % - queda do dólar
    • EUR: -2,91% - queda do euro
    • Stock plan: -3,99% - queda do euro e da ação
Essas rentabilidades sao líquidas, com exceção de Bolsa e ativos no exterior. Considerei um ágio de 5% no câmbio se quisesse trazer tudo pra cá, mais multas e impostos. Não estão consideradas taxas de corretagem.

Alocação atual:



BrasilExterior
FundosPrev PrivadaFGTSRFTDBOVESPAStock PlanEURUSD

21,5% 10,8% 5,7% 18,5% 23,1% 11,7% 3,1% 2,8% 2,7%


Este mês quero refinar meu controle de ações e FIIs. Se rolar aporte vai ser em algum dos que estou de olho.

quinta-feira, 27 de julho de 2017

Meus ídolos


Depois de vários anos googlando algo do tipo "quanto precisa para se aposentar" um dia resolvi googlar em ingles. Neste dia descobri o movimento FIRE. Estes são os blogs que me inspiraram a começar o meu, que está completando 6 meses:

Cheguei nele a partir do GoCurryCracker, primeiro blog FIRE que eu achei, mas nao me apeteceu. Enquanto no primeiro o pessoal fica viajando o mundo e morando em barracos no Vietnã e coisas do gênero, aqui o cidadão teve a manha de em 4 anos e pouco juntar e aplicar uma grana pra cuidar da esposa e 2 filhos nos EUA. 2 filhos ! Quando vi o detalhe com números e tudo quase caí da cadeira. Monstro ! Post recomendado: $1,120,000! FI!! (and a bad case of Sphenopalatine Ganglioneuralgia)

Mr. Money Mustache
Nesse cheguei a partir do 1500days. Enquanto o 1500days partiu de uns 500 mil dólares até o FIRE, o moço do bigode começou do ZERO. Nada. Ele tem a mesma idade que eu. E tem um filho. Meu Deus... Monstro !! Post recomendado: A Brief History of the ‘Stash: How we Saved from Zero to Retirement in Nine Years

Frugalisten
Nos EUA esses caras tiveram a boiada de ter bons empregos, recebendo mais de 100 mil dolares por ano e um custo de vida relativamente baixo. Ou seja, naturalmente vai sobrar muita grana pra aplicar. Mas e na Europa, onde o governo tira metade do seu salário e cuida dele pra você, será que rola ? Algumas googladas me levaram a esse carinha. Solteiro, 28 anos e com um plano claro e plausível para se aposentar aos 40. Ah se com 28 eu também soubesse... Post recomendado (somente para quem entende a língua de Goethe): So gehe ich mit 40 in Rente – Mein Masterplan für die finanzielle Unabhängigkeit
Tá bom, se o cara é solteiro, divide apartamento com uma turma, nao gasta com nada, mesmo pagando altos impostos ainda sobra. E se tivesse filhos ? Bom... essa família está prestes a atingir a IF mesmo criando 2 filhos na Alemanha. Sensacional ! Muita disciplina, frugalidade e faro para negócios. Post recomendado: Financial Independence: Freedom or Boredom?

Root of Good
Essa família americana botou o Mr. Money Mustache e o 1500days no chinelo. 3 filhos pra criar e IF aos 30 e poucos anos de idade. Tomate cru. Post recomendado: EARLY RETIREMENT AT 33: AN OVERVIEW

Viver de Renda
O deus supremo das finanças pessoais. Em meio à baderna deste país o feito do cara é tão incrível que muita gente jura que é tudo mentira. Se é fake ou nao, nao me interessa, o que interessa é que o cara foi um baita estímulo pra eu entrar na festa da IF. Monstro !!! Post recomendado: A Independência Financeira

Um cara muito esforçado, trabalhador e determinado mostrando sua motivação e caminhada rumo a IF. Análises embasadas mostradas em excelentes artigos, tanto na parte matemática quanto filosófica das finanças. Post recomendado: Como ser feliz e aposentar-se cedo

Gustavo Cerbasi
O único brasileiro que eu achei até agora que usufrui da IF depois de anos trabalhando e investindo no mercado financeiro e imobiliário, não empreendendo (começou a escrever livros e dar palestras já perto da IF). Veja essa entrevista. O Viver de Renda já atingiu a IF mas continua no mesmo trabalho. Já o Cerbasi chegou a 1 milhão de reais aos 31 anos de idade e foi fazer seus projetos. Um brasileiro da minha idade trabalhou, investiu, chegou à IF e ainda vai criar 3 filhos ?? Incrível ! Post recomendado: SER RICO NÃO É TER MUITO DINHEIRO

Além da poupança
Blog com excelente conteúdo narrando os passos de um pequeno investidor na busca da IF. Salvou minha pele ao desenvolver uma planilha para controle de investimentos que aparentemente é a mais usada pelos blogueiros. Se antes eu demorava uma semana pra fazer um balanço, agora demora algumas horas. Não é o ideal mas já me ajudou bastante. Obrigado !!! Post recomendado: Planilha de acompanhamento de rendimentos mensais